A Administração do Porto de Lisboa, representada pelo seu presidente, Dr. Manuel Frasquilho, foi eleita, no passado dia 24 de Outubro, para o lugar de presidência da RETE – “Associação para a colaboração entre portos e cidades”, uma organização internacional que reúne portos e cidades portuárias da Europa meridional e que pretende valorizar e desenvolver a cooperação entre portos e cidades portuárias no campo da transformação das frentes urbano-portuárias e, em geral, da relação porto-cidade.
Esta eleição, que decorreu na última reunião do Conselho da RETE, espelha o reconhecimento, a nível internacional, do trabalho desenvolvido pela autoridade portuária de Lisboa na revitalização das frentes ribeirinhas e na qualificação de áreas portuárias operacionais com vista à sua melhor integração nos espaços urbanos envolventes.
Aliás, a Administração do Porto de Lisboa foi uma entusiasta impulsionadora da criação do projecto RETE, cuja apresentação pública se realizou na Gare Marítima da Rocha, no dia 1 de Junho de 2001.
Após estes anos de considerável crescimento e consolidação da rede, constitui propósito da nova presidência continuar a dinamizá-la de forma a que ela cresça quantitativa e qualitativamente, alargando as suas fronteiras para além do continente europeu, não só na América Latina, incluindo o Brasil, mas também nos países africanos com os quais Portugal mantém relações estreitas, tanto comerciais como de aproximação cultural e social.
Prosseguindo sempre o objectivo de melhorar a relação entre portos e cidades, e tendo em conta que, com as alterações significativas que se têm vindo a verificar no contexto económico internacional, vão surgindo novos paradigmas de desenvolvimento, nomeadamente das cidades portuárias, será importante incrementar a actividade investigadora da RETE na área das relações porto-cidade.
Contando agora com um Comité Científico, poderá vir a incrementar-se a monitorização da evolução de projectos realizados, confrontando e avaliando os êxitos e dificuldades surgidas, assim como valorizar a potencialidade de novos projectos, tendo também em conta as questões relativas à gestão dos projectos de requalificação e a análise, cada vez mais complexa, dos desafios que vão surgindo nas metrópoles portuárias.
Também é importante a aposta na difusão e promoção do pensamento científico e técnico sobre estas questões e a constituição de fora para o intercâmbio de experiências.
É neste âmbito que se enquadra a consolidação e reforço das actividades de formação no âmbito porto-cidade, assim como a dinamização do desenvolvimento de Nós Locais.
Desta forma, poderá vir a dinamizar-se ainda mais a RETE e vir a consolidar a sua crescente importância a nível internacional.